Parabéns  pela iniciativa, que venham novos tempos onde o negro possa expor sua cultura de formas diferentes sem medo da repressão, todavia é necessário entender que o resgate da alma negra é um processo lento que muitos ainda não perceberam sua importância  O Gideon Babalolá Idòwú nasceu em Lagos, Nigéria e veio a convite de uma militante do Movimento Negro Márcia Adão do blog http://www.mulhernegracampineira.blogspot.com.br/ que retrata nossa realidade aos olhos da mulher!

Eu, particularmente gostei de conhecer nosso amigo nigeriano que trouxe histórias originais e sua forma de decifrá-las. A cada roda de conversa, ou ato de protesto tenho a fé que o preconceito odioso estará saindo das mentes de algumas pessoas ao mesmo tempo que a população negra entenda e de o valor merecido a sua herança étnica.

Hoje estiveram presentes pessoas que gosto muito e que sempre estão na luta contra a desigualdade, posso citar a Cinthia Villas Boas e Babalorixá Geiso Ti Sango, como também a Kota Lajara.

Por : Oluandeji

Com intuito de complementar a aplicabilidade da Lei 10.639/03, na divulgação da cultura e história africana, a Casa de Cultura Tainã Campinas confirmou a presença do Prof. Gideon, da Nigéria, para socializar, na região, o seu trabalho.

Em visita ao interior do Estado de São Paulo Prof. Gideon B. Idòwú realizará, de 13 a 19 de setembro, palestras sobre a língua, cultura e filosofia do povo nagô, na Nigéria, na Cepir de Campinas,  no Ponto de Cultura Casa Tainã e em Piracicaba.  

No sábado, dia 15 de setembro, pela manhã, o Prof. Gideon visitará o projeto pioneira de Campinas que ensina idiomas para jovens da periferia Ong Casa da Dinda (www.ibp-casadadinda.org.br/Ong/Home.html), passará pelo projeto Maloca Livre (editora montado por jovens da região da Vila União), conhecerá também o ponto de cultura Fazenda Roseira, Urucungos e Casa Cultura Tainã. Nesse intercambio a cidade entrará na história pela diáspora construída com os países africanos através de seus afrodescendentes. Já com a visita do Ministro do Senegal em 2011 o movimento negro local entrou para o mapa dos países africanos. Nossa comunicação direta com entidades e governo tem ampliado as possiblidades de um “leão escrever sua história”.

Na segunda será recebido pela comunidade negra de Piracicaba. Ministrará uma palestra sobre o povo nagô na Biblioteca Pública Municipal como parte das atividades educativas do Centro de Documentação, Cultura e Política Negra e projeto Difusão Cultural Afro. Evento este que na primeira semana de divulgação teve seu limite de público completado.

Mais informações podem ser obtidas nos telefones:

(19) 324521102 ou (19) 91732822

Gideon Babalolá Idòwú nasceu em Lagos, Nigéria.

Em 1981 trabalhou no Ministry of Works, Survey Divison” em Lagos.

È diplomado em música pela  The Associated board of the Royal Schools of Music” de Londres.

Sua vivência e paixão pelo Brasil se dá devido ao Curso de Português que realizou em 1981 na USP. Realizou sua graduação em Tradução na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Em 1987 realizou um projeto, juntamente com o compositor Antônio Carlos Cunha, sobre canções nigerianas que foram interpretadas pelo Coral do Tribunal da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul

Em 1990 mudou-se para Estados Unidos onde concluiu o curso graduação em Western Language and Literature – Spanish (Língua e Literatura Ocidental – Espanhol) na the university of the State of New York, Albany, NY.

Realizou vários trabalhos como tradutor (Contract Linguist), com vários órgãos do governo americano.

De volta ao Brasil teve uma meta árdua: como divulgar a cultura e a língua de seu país? Sua participação em colóquios e seminários culminou num programa de ensino e aprendizagem da língua e cultura nigeriana no Brasil. Antes de partir para EUA organizou uma agenda nos estados brasileiros realizando worshops e oficinas.

Em seu livro “Uma Abordagem Moderna ao Yorùbá (Nagô)” pretende divulgar com mais propriedade e metodologia os valores culturais e sociais da Nigéria.

Fonte: http://edeyoruba.com/

Anúncios