Histórias que Lobato não contou…

Crianças protagonizaram o Lançamento da Coleção de Livros MÃE ÁFRICA, de Maurício Pestana, no Rio de Janeiro.

O Castelinho do Flamengo, na manhã de sábado, 15/09, não poderia ser o cenário mais apropriado para o lançamento dos livros infantis de Maurício Pestana. As crianças, dezenas delas! Felizes, atentas, em paz com a sua cor, sua estética e antenadas com as mil possibilidades de pentear os cabelos …usando e abusando das cores em suas vestes…curiosas , bagunçavam a mesa, repleta de livros “com a sua cara”! Eram as suas histórias contadas ali.

Os pais e amigos, que eram muitos, também fizeram parte dessa festa. A iniciativa do evento foi da Livraria KITABU. Além de oferecer vasto cardápio em títulos da literatura afro-brasileira, caprichou nos petiscos, frutas, sucos e farta distribuição de doces para a criançada! Salve os erês!

Pestana é um brasileiro que nos orgulhamos muito… Publicitário, Cartunista , Escritor e Roteirista com reconhecimento internacional pelo seu trabalho contumaz na luta por Direitos Humanos e pela erradicação da discriminação racial. Na Coleção MÃE ÁFRICA, Pestana assina as ilustrações e  apresenta os Deuses, mitos e lendas, enraizados nos alicerces da cultura brasileira. Uma literatura instigante e reveladora para as nossas crianças.

Eu já garanti os exemplares das minhas sobrinhas(os)! A fila foi grande para receber os autógrafos.  Me  juntei   as crianças, brinquei, curti a apresentação de violino do menino “Teo” e tietei  “os nossos” com eles “olha lá aquele moço do Globo Ciência!” (Era o Alexandre Henderson)- dizia um;  “Caraca, é a Zezé” (personagem da atriz Cacau Protásio, na novela Global)- gritava a outra! Ai que delícia!

Até esqueci do nosso “acerto de contas” com Monteiro Lobato (Não houve acordo na audiência de Conciliação, do Mandado de Segurança expedido contra a Presidência da República, em 11/09 – no Supremo Tribunal Federal. Adiado para 25/09, esperamos, no mínimo, dadas as circunstâncias, que se publique uma nota explicativa de acordo com as contribuições dadas, em plenária na OAB/RIO (31/08),  “Prevaleceu o posicionamento no sentido de não ser desejável a censura da literatura de Monteiro Lobato. Entretanto, que haja uma contrapartida que “compense” eventuais/ possíveis danos gerados à auto-estima da coletividade da população negra. Uma dessas compensações é a implementação de uma orientação anti-racista através da formação continuada do educador que é o gestor na sala de aula.” . Na verdade, o que se pede é que se cumpra o primeiro parecer dado pelo MEC (15/2010). O bom disso tudo é que no seu exercício de cidadão, O Prof. Antônio Costa Neto, trouxe a tona, em denuncia à Ouvidoria da SEPPIR, o fato de que Monteiro Lobato é racista e condena a distribuição do Livro “ As Caçadas de Pedrinho”, sobretudo com o dinheiro público!!!

Não tinha me dado conta do figurino que utilizei naquela manhã até me deparar com a pequena Carol, com seu sapato de boneca ( o dela rosa e o meu branco), vestidinho curto, florido, alegre e nossos cabelos soltos, livres do racismo! Era um ambiente encantador e livre (confesso que me deu vontade de sentar no chão, na roda de leitura com a Contadora e Histórias… mas me veio a lembrança da cara brava da mamãe me chamando de sem modos!). Adoroooooo!!!!!

Tenho certeza que Pestana voltou pra casa mais feliz do que o costume, contagiado por aquela atmosfera que ainda contou com presença ilustres como Altair Veloso, Naira Fernandes, Carlos Medeiros e Débora Medeiros, Katleen Conceição e filhota, Gecilda Esteves, Ana Carolina Lima, Cacau Protásio, Alexandre Henderson, Ebla Marcondes, Ana Cristina Souza, Helô, Fernanda e Zora Felisberto, Milonga… e mais um montão de gente boa!!!!

Além da presença do CULTNE (Don Filó) e do Movimento&Mídia, AFROPRESS e MAMATERRA registrando tudinho pra vocês!

Fonte: Mamapress

Anúncios