Tags

, , , ,

644718c7f1467125d09ddaa8b31f7ac3.jpgO Ministério Público Federal recorreu contra decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que autorizou o programa “Zorra Total”, da TV Globo, a continuar exibindo conteúdo supostamente preconceituoso contra gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros.

A ação civil pública ajuizada pelo MPF/DF contra a TV Globo pede a retirada do ar destes quadros e que a emissora deixe de exibir novos conteúdos humorísticos com alusões discriminatórias à comunidade gay. Além disso a Globo deverá transmitir por 60 dias, no mesmo horário do “Zorra Total” programas de conscientização com estrutura, profissionais e recursos oferecidos pela emissora.

Em primeira instância, o pedido foi negado, o que fez a Procuradoria da República no DF recorrer ao Tribunal Regional Federal, em Brasília.

No recurso encaminhado ao Tribunal, a procuradora alega que a decisão deixou de se pronunciar sobre diversos pontos levantados pela Ação Civil Pública do MPF. Segundo a ação, a veiculação do conteúdo discriminatório do “Zorra Total” afronta a Constituição Federal, que garante a igualdade perante a lei, sem distinção de qualquer natureza e sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

Fonte: Bem Paraná