Tags

, , , ,

A presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial do Rio de Janeiro, Salvadora Maria Ribeiro de Souza, formalizou denúncia junto ao Ministério Público Federal, contra a empresária Kenya Mayrink na segunda-feira (29). 

Segundo Salvadora, a polêmica que a publicação do post causou é uma prova de que a sociedade já não tolera mais esse tipo de preconceito. “Não temos mais como achar que essa atitude é uma coisa normal. O que ela fez não foi uma brincadeira e não podemos deixar que isso passe despercebido. O Conselho repudia todo e qualquer ato desse tipo e, por isso, vamos tomar todas as providências cabíveis”, desabafou a presidente em entrevista para o jornal Terceira Via.

Em Salvador, a primeira juíza negra do Brasil, a desembargadora Luislinda de Valois, prometeu expor o assunto como forma de conscientização. “Eu vou levar este caso para o mundo inteiro. Ela não só acabou atingindo todas as pessoas negras, como no meu entendimento, foi racista. Quer dizer então que toda a nossa luta não serve para nada? Isso não pode passar em branco!”, disse para o Bocão News.

Kenya, que é empresária e mora em Goytacazes, está abalada e tem ficado sedada a maior parte do tempo. “Foi um ato impensado. Ela estava com muita raiva, pois havia acabado de ser humilhada. É claro que isso não justifica o que ela fez, mas ela já pediu desculpas a pessoa que ofendeu e agora está se desculpando com todas as pessoas que também se sentiram ofendidas”, disse a mãe da garota, Rose Mayrink, que não responsabiliza filha pelo preconceito. “Ela nunca fez qualquer tipo de distinção. Pelo contrário, ela tem amizade com várias pessoas negras. Não esperávamos uma coisa dessas, mas que isso sirva de aprendizado”, declarou.

Fonte: Bocão News