Sou negra. Adoro minha cor e não tenho problema de baixa estima nem complexo de inferioridade. Desde criança sei do meu valor e sempre trabalhei e passei por muitas dificuldades.

Não fiz faculdade, mas tenho certificados de cabeleireira, web designer, escrituração fiscal, secretária empresarial. Teria feito direito ou jornalismo, mas não estou disputando cotas, pois tenho que trabalhar e sustentar minha família.

Se tivesse cotas provavelmente eu seria advogada hoje. Mas, sempre fui linda, gostosa e inteligente. Muitas vezes, tive e tenho que disfarçar meu narcisismo, pois eu me amo. Mas, ser negro no Brasil é uma desgraça.

Chega no mês de novembro é a revolta dos brancos, dos pobres, dos ricos e de outros que esperam essa data para falar mal das “cotas”. Olham bem na cara do negro e diz: sou contra as cotas. Falam um monte de coisa sem sentido algum.

Que se dane o que você pensa. Eu não estou perguntando. Você já viu um negro perguntando para um branco se é ou não a favor de cotas? Já que eles não podem xingar os negros eles resolvem atacar as cotas. Negro eu não te curto: você está ocupando meu espaço, está pegando meu emprego, está frequentando meu pedaço e, agora, quer ir para faculdade?

Que Absurdo! Sabe as cotas? É uma forma de discriminar o negro, não aceite isso. O Brasil tem uma dívida eterna com o negro. Querem que o negro seja indenizado pelos 500 anos de escravidão de um povo e pronto.

Ora francamente precisa disso? O Brasil é feito de descendentes de escravos e, também, muito branco descendente dos coronéis –que estupravam as negras na senzala, amarravam o negro no tronco e davam chibatadas–, das brancas que não amamentavam seus filhos e punham as negras para ama de leite.

Justiça! O povo do Brasil nunca vai ter isso, mas vamos seguir em frente. Vamos dar as mãos ou ficar na eterna luta? Aceitem! Não tem mais escravidão, mas o negro ficou em desvantagem. Para saber sobre isso, todo branco e até negro de hoje teria que saber a história a partir da Abolição.

Mas, saber como negro liberto sem emprego, sem casa e comida é discriminado. Toda uma raça tendo que começar do zero sem estrutura. Deixe as feridas que seus antepassados fizeram secar e não tire a casquinha, pois sangra novamente sabia?

Por Fátima Leonel, leitora da Folha de São Paulo.

Fonte: Folha/UOL

 

Anúncios