Tags

, , , ,

No próximo domingo (11), a Rede Religiosa de Matriz Africana (RREMAS) realizará a 5ª Caminhada Religiosa, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. Com concentração às 8h, no final de linha da Escola de Menores, em Paripe, a edição de 2012 da caminhada tem como tema “Por um estado verdadeiramente laico e pelo direito aos espaços públicos sem pregações religiosas”.

“A importância desta caminhada é destacar a luta contra o preconceito e discriminação religiosa. Aqui na Suburbana os terreiros não tem apoio nenhum. Por isso que fundamos a Rede”, disse ao Portal Correio Nagô a Iyalorixá Bebete de Xangô, presidenta da Rede.

REEMAS 2012

“Resolvemos formar uma rede e abraçar terreiros do Subúrbio, no total já temos mais de 300 terreiros associados”, complementou. A caminhada vai até o Centro de Abastecimento, retorna e será finalizada em Tubarão.

“Vivemos ainda dias muito difíceis: manifestações de intolerância religiosa continuam aumentando por parte de neo-pentecostais; a nossa juventude continua sendo exterminada por bala ou por droga e como se não bastasse precisamos estar organizados enquanto segmento religioso para exigir respeito da Sociedade e de parte do Poder Público no cumprimento das leis que nos beneficiam”, divulgou a Rede.

No encerramento da caminhada, terá uma feira artesanal para expor e comercializar (e gerar fundos para a Rede), os produtos que estão sendo trabalhados nos cursos oferecidos pela rede à comunidade religiosa, desde julho de 2012, distribuídos em seis terreiros ao longo do Subúrbio ferroviário.

Confira na íntegra o manifesto divulgado pela Rede:

MANIFESTO DA RELIGIOSIDADE ANCESTRAL AFRICANO-BRASILEIRA-2012

NOSSAS CAMINHADAS representam um gesto de união da voz do chamado “Povo de Santo” (preferimos Povos de Terreiro), também exigindo  respeito aos seus direitos de escolha e expressão religiosas, garantidos pelas leis brasileiras, principalmente a constituição federal, LEI MAIOR DO PAÍS.

Fáticos identificados como “neopentecostais”, aglutinados ou espalhados nas classificadas “igrejas de mercado” (isso por demonstrar EXCESSIVO interesse de seus dirigentes pelo lucro e exploração capital de seus adeptos, como sinal de fé); têm atacado sistematicamente religiosos e religiosas de Candomblé e Umbanda, assim como nossos Templos a que chamamos de Roça, Terreiros, Centro de Giro ou Centro.

O Brasil é um País caracterizado pela diversidade: cultural, de povos, de religiões e outras. Por isso sua Carta Magna (A Constituição Federal) garante os mesmos direitos e responsabilidades, para todos os que se revelem tendo alguma expressão de fé ou religião e todas as leis brasileiras têm que segui-la, assim como todo e qualquer Funcionário Público, fardado ou não. É legítimo professar uma fé, mas, o limite é o direito das outras pessoas também seguirem o que acreditam e não serem constrangidas por isso, tampouco, serem obrigadas a seções públicas de convencimento de que estão erradas em sua escolha, erradas em sua fé.

Submeter as pessoas a discursos inflamados, muitas vezes ofensivos, em espaços que elas não podem evitar, é crime previsto na constituição brasileira em seu artigo 5 (“ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer algo, senão em virtude da Lei”). Do contrário, pode haver “Perturbação da Ordem Pública”, que é outra situação prevista nas leis brasileiras.  Uma das características da Intolerância Religiosa é a ação de terceiros sobre Templos de qualquer fé. Pontos de ônibus, assim como seu interior durante sua atividade normal, estações de trem e seu interior, qualquer espaço considerado público, porém reservado a determinados serviços também públicos, não são templos religiosos, portanto, não podem ser utilizados como tal impunemente.

            Costuma-se dizer que o ESTADO é LAICO, ou seja, NÃO TEM RELIGIÃO e nem pode, portanto, ser orientado por nenhuma legislação religiosa, ou beneficiar sem justificativa histórica (de reparação, por exemplo), qualquer que seja a profissão de fé. A sociedade brasileira não é uma sociedade TEOCRÁTICA (ou seja: que tenha que seguir algum livro dito sagrado); a Sociedade Brasileira é DEMOCRÁTICA (demo=POVO, cracia=PODER). Então, para haver convivência PACÍFICA é preciso haver respeito de uns pelos outros. E é responsabilidade de todas as pessoas promoverem a paz, ou responder pelos atos de sua consciência.

Estamos alertando a população: não mais aceitaremos provocações, não mais aceitaremos passivamente as agressões a que nos submetem; apelaremos para todos os meios, em defesa de tudo o quê para nós é de mais sagrado: nossa fé nos ancestrais de luz; nossas certezas e verdades trazidas do tempo em que a humanidade surgiu na África; nossa certeza de que vivemos num Estado de direitos e, esse é um direito conquistado. É dever do Estado nos proteger também e EXIGIREMOS MAIS FORTEMENTE QUE ELE FAÇA O SEU PAPEL. Se há benefícios para sacerdotes, sacerdotisas e templos de outras religiões, é legítimo que também sejamos beneficiados, sem excessos de burocracia e, principalmente, sem que seja preciso que o Estado utilize procedimentos externos à nossa realidade, ou de mesmo padrão judaico-cristão, para definir o merecimento do benefício. É a nossa comunidade religiosa que deve orientar, através das organizações já legitimadas pela própria comunidade, a definição desse mérito.

Por fim, definitivamente, nós somos uma RELIGIÃO DE PAZ, de COLETIVIDADE, de PARTILHAMENTO; deturpações existem em qualquer setor da atuação humana; por um médico matar ou errar, não se condena toda a medicina. Todos os descendentes de africano, homens e mulheres de todos os tons de pele, devem às religiões de matriz africana a vitória sobre o sistema escravista ocidental cristão. Foi o Candomblé, principalmente, que durante séculos alimentou literalmente a muita gente, deu sentido espiritual à vida de milhões de pessoas, BEM COMO DEVOLVEU A FAMÍLIA que fora tirada dos africanos no processo da escravidão, para resistirem e permanecerem vivos, SE MULTIPLICANDO.

UM DIA ELES (os colonizadores), ATUARAM SOBRE OS NOSSOS CORPOS, NÃO DEU CERTO; AGORA, QUE JÁ NOS CONHECEM, ESFORÇAM-SE PARA NOS APAGAR A ALMA, MAS NÃO CONSEGUIRÃO!

RREMAS-2012

Fonte: Correio Nagô

 

Anúncios