Tags

, , ,

modelo negraA Semana de Moda do Rio de Janeiro foi marcada por um desfile da marca OEstudio, com forte presença de modelos negras, reflexo de uma onda de mistura de raças em um país como o Brasil, onde negros e mulatos são maioria, apesar de aparecerem muito raramente nas passarelas. As modelos desfilaram looks de cores sombrias ao ritmo dos tambores do percussionista Jam da Silva.

“Queremos mostrar uma moda brasileira, não uma moda importada. Não somos 100% negros nem 100% brancos, somos esta diversidade. E para representar esta diversidade, decidimos fazer um casting muito equilibrado”, declarou a estilista da marca, Anne Gaul, em entrevista à AFP.

Durante a abertura da 22ª edição do Fashion Rio para o inverno 2013, um grupo de manifestantes protestou contra a fraca presença dos negros nas passarelas, logo no Brasil, país com maior população negra do mundo depois da Nigéria.

Aos gritos de “Somos um país de negros!”, os militantes da ONG Educafro pediam mais espaço para no mercado de trabalho nesse país de 194 milhões de habitantes, onde cerca de 52% da população é negra ou mulata, mas ainda é desfavorecida em relação ao brancos.

“A questão do racismo é um tabu no Brasil. Aproveitamos este instante de visibilidade para falar deste tema muito importante e mostrar que ser brasileiro é esta mistura de raças. Os negros devem ter mais espaço na moda”, disse a estilista.

O organizador das semanas de moda do Rio e de São Paulo, Paulo Borges, minimizou o problema.

Fonte: AFP

Anúncios