Tags

, ,

O texto já causou muito polêmica, agora em vídeo tende a se expressar com mais ênfase sobre as dificuldades da vida e a desigualdade social.

Para iniciar a conversa, devemos citar que o Papa Nicolau V mandou os jesuítas e a esquadra portuguesa a dominar e subjulgar e enfim escravizar a qualquer custo as pessoas de pele negra na África, pois estes não teriam alma. Feito a barbaridade religiosa Cristã, trouxeram os negros acorrentados pelo oceano e aqui viraram mercadoria e força de trabalho, viveram séculos como animais de força, para enfim, colocar todos em liberdade, mas sem direito a moradia ou trabalho, levando toda a população numa exclusão sem fim.

Os negros viveram em quilombos até a hora que inventaram que aquelas terras que estavam, eram de fazendeiros ricos e os colocaram as margens da sociedade formando favelas e periferia, com falta de escolas, saúde, moradia, liberdade e sem nenhuma condição de vida, pois o trabalho era negado e às vezes quando se empregava era num trajeto de semiescravidão e humilhação.

Nos dias de hoje tantos anos se passaram e o racismo continua vivo num país de diversidade cultural e étnica evidente, mas muito pouco mudou na história dos descendentes claros de africanos, isto é daqueles que tem marcado a pele como negra.

Nunca houve uma igualdade para se reparar o mínimo da exclusão sofrida, agora quando falamos em cotas raciais e da importância de inserir o negro nas faculdades federais algumas pessoas se levantam e chamam isso de vantagem, mas foi o branco que teve a vantagem sobre tudo há séculos, pois foram seus ancestrais que invadiram a áfrica e escravizou vidas e vieram ao Brasil e fizeram a mesma coisa.

Claro que o ensino público precisa melhorar, aliás, ele só foi bom quando era apenas de brancos, mas enfim cotas não é vantagem é uma reparação de exclusão social e este vídeo que muitos não irão gostar mostrou a verdade do dia a dia deste país.

Por:  Oluandeji

Anúncios