Tags

,

racismo-no-paranaAs cenas e relatos que vemos e ouvimos neste vídeo da RPC TV são tão revoltantes que nos perguntamos em que ano estamos. O que faz com que nossas polícias continuem agindo como se fossem capitães do mato e as pessoas negras fossem sujeitos sem direitos?

Como pode invadir a casa de uma família espancar seus membros até sangrar, prendê-los e as testemunhas e na delegacia continuar torturando-os, violentando-os, física e verbalmente?

A advogada Andréia Cândida Vitor relata como foi submetida a sessões de torturas físicas e psicológicas, seus agressores? Policiais militares. Seu crime? Testemunhar desmando e truculência dos seus agressores.

De acordo com advogada, ela foi agredida porque presenciou a truculência da PM paranaense em uma rua próxima a sua casa. De acordo com Andreia a polícia desrespeitou os direitos de idosos, deficientes, crianças e adolescentes.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR), Juliano Breda, disse que a OAB do Paraná prestará toda assistência jurídica necessária à advogada, diante “desse gravíssimo episódio e exigirá das autoridades a firme responsabilização dos envolvidos”.

Fonte: Maria Frô

Anúncios