Tags

, , ,

S. Paulo – A ex-ministra da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (SEPPIR), Matilde Ribeiro, será a secretária-adjunta do cantor, apresentador, vereador e empresário, José Neto de Paula, Netinho (PC do B), na  Secretária de Promoção da Igualdade Racial de S. Paulo, recém-criada pelo prefeito Fernando Haddad, cumprindo proposta do Programa de Governo do PT na campanha.

Afropress apurou que Matilde já foi convidada por Netinho, com o aval de Haddad, e aceitou o convite. Ela será a número dois da SEPPIR paulistana. A ex-ministra, que deixou a SEPPIR em fevereiro de 2008, no primeiro Governo Lula, por causa do envolvimento do seu nome no escândalo dos cartões corporativos, não foi encontrada na sexta-feira (04/01) para falar de suas novas funções no Governo petista.

Logo após o término da campanha, ela chegou a ter seu nome foi cogitado para assumir a Secretaria como titular, porém, perdeu espaço para Netinho, tendo em vista a necessidade do prefeito eleito de acomodar o PC do B no primeiro escalão, abrindo espaço para que o ex-ministro Orlando Silva, assumisse uma cadeira na Câmara de Vereadores de S. Paulo. O ex-ministro, um quadro do Partido, cujo nome também foi envolvido em denúncias de desvios de recursos de programas da pasta, disputou as eleições para vereador e ficou na primeira suplência.

Tanto Matilde quanto Orlando, porém, foram absolvidos pela Comissão de Ética da Presidência da República por falta de provas. No caso de Matilde, ela admitiu enganos em virtude da orientação equivocada de assessores e chegou a devolver R$ 2.815,35, por orientação da Controladoria Geral da União (CGU).

Tudo por fazer

Apesar de Netinho já ter tomado posse juntamente com o prefeito no dia 1º de janeiro, a SEPPIR paulistana é ainda um projeto em vias de implementação. A partir do dia 1º de fevereiro, Haddad se comprometeu a encaminhar à Câmara o projeto de reforma administrativa em que cria a estrutura, não apenas da SEPPIR, mas também da Secretaria da Mulher, entre outras medidas.

A proposta inicial é que Netinho disponha de recursos no orçamento e de um quadro de pessoal capaz de implementar medidas que permitam dar visibilidade ao tema que ganha espaço crescente na agenda das políticas públicas. Porém, até o momento, tudo está apenas nos planos.

Participação de tucanos

Além de Matilde, escalada para ser a segunda pessoa da Secretaria, um outro nome que deverá fazer parte da equipe de Netinho será o da atual coordenadora da Coordenação do Negro (CONE), Maria Aparecida de Laia.

O anúncio do nome de Laia – que é historicamente ligada ao PSDB – deverá acontecer nos próximos dias. Sua ida para o Governo do PT é parte de uma estratégia pensada para retirar quadros e lideranças negras de áreas de influência tucana.

Laia é um antigo quadro do tucanato e tem se mantido em todos os governos do PSDB. Ela deverá atrair o grupo que a acompanha, segundo a análise de um dirigente ouvido por Afropress, sob o compromisso do anonimato, como forma de atrair para a Secretaria “massa crítica, capaz de dar maior envergadura a nova Pasta, inclusive do ponto de vista do apoio político”.

 Fonte Afropress
Anúncios