Tags

Com a participação de adeptos/as que a cada ano se avoluma da Tradição de Matriz Africana e Afro-Umbandista do Estado do Rio Grande do Sul e a presença de denominações comprometidas com o diálogo e a diversidade religiosa, a marcha pela Vida e a Liberdade Religiosa este ano de 2013 terá como lemas de intervenção social a afrotheofobia como sentimento cada vez mais crescente no Brasil assim como as demolições das Terreiras por conta do projeto urbanístico da capital gaúcha em função da copa do mundo de 2014.

A grande motivação que alimenta a marcha pela vida e liberdade religiosa iniciada em Porto Alegre em 2009 e as demais caminhadas que se multiplicam por todo o Brasil é o recrudescimento da intolerância religiosa nos anos 1980 do século passado protagonizada desta feita pelo surgimento de igrejas consideradas neopentecostais em que violentas e beligerantes ações manifestaram-se e assim prossegue, promovendo invasões a terreiros e agressões a adeptos identificados em logradouros públicos pelo uso de insígnias e adereços afro-religiosos, colocando verdadeiro terror no contingente dos fiéis das Religiões de Matriz Africana e Afro-Umbandista e Indígena com repercussão em toda a sociedade brasileira.

Diante dos graves danos causados pelo racismo afro teológico e/ou da intolerância religiosa que passou mais efetivamente a repercutir nos espaços públicos das instituições atingindo drasticamente pessoas, assim como as reações em massa de adeptos/as politicamente organizados face às violências sofridas, conduziu governos à adoção de legislações específicas, a exemplo da instituição do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, através da Lei 11. 635, de 27 de dezembro de 2007.

A marcha pela vida e liberdade religiosa de Porto Alegre na sua 5º edição será antecedida de um seminário que contará com as presenças de Autoridades de Matriz Africana (Sacerdotes e Sacerdotisas), intelectuais e autoridades dos âmbitos dos governos federal, estadual e municipal que abordarão os lemas da marcha, de onde sairão os encaminhamentos que serão levados aos respectivos governos das esferas nomeados para as devidas providências com relação às demolições de terreiros e a disseminação da afrotheofobia.

Serviço

O quê: 5º Marcha Pela Vida e Liberdade Religiosa

Quando: dia 21 de Janeiro de 2013

Horário: 17h00

Concentração no Largo Glênio Peres e saída as 18h00;

Percurso da Marcha: Saída do Largo Glênio Peres; segue pela Borges de Medeiros – Loureiro da Silva – Largo Zumbi – Pça dos Açorianos, Cel. Genuíno – José do Patrocínio; destino Usina do Gasômetro de onde sairá o presente que será entregue nas águas do Guaíba e encerramento da Macha mediante confraternização com louvações, capoeira, etc.

Fonte: Rede Afrobrasileira Sociocultural

 

Anúncios