Tags

, , , , ,

Acho que o direito de expressar sua fé é fato dado pela constituição brasileira e deveria ser crime sem fiança as pessoas destruírem a fé de outros, principalmente dos índios que vivem num processo de desqualificação de suas tradições a mais de 500 anos.

Já está mais que na hora da justiça formar um grupo que investigue, processe e prenda essas pessoas que possuem essa trajetória cotidiana de ameaçar e humilhar a fé alheia.

Por: Oluandeji

 

indios-cristaosEvangelizadores católicos e evangélicos estão perseguindo os pajés de etnias do interior do Amazonas, na região do rio Solimões, com a intenção de substituí-los para impor aos índios a cultura cristã.

A denúncia é do antropólogo Ademir Ramos, coordenador do NCPAM (Núcleo de Cultura Política do Amazonas), que é uma entidade ligada à Universidade Federal do Amazonas.

Para ele, o que está ocorrendo nas aldeias da região é uma interferência de fora para dentro com o propósito de “matar” a cultura indígena, descaracterizando-a a partir da criação de outros chefes espirituais.

Ele falou que os religiosos disputam entre si quem exerce maior controle sobre os índios. “Há a demarcação, tendo de um lado os católicos e de outro os evangélicos”, disse em entrevista ao Portal Amazônia.

Missionários católicos e evangélicos contestaram a denúncia do antropólogo.

Francisco Loebens, do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), Regional Norte 1, negou que a Igreja Católica esteja querendo acabar com a liderança dos pajés. Argumentou que o Cimi respeita a diversidade e que tem atuado para fortalecer a cultura indígena. “ Destruir ou agredir [essa cultura] afronta o Evangelho”, disse.

O pastor José Soares, da Omeam (Ordem dos Missionários Evangélicos do Amazonas), afirmou que a denúncia “não tem fundamento”, porque há respeito pela “crendice” dos índios e pelo direito deles de manifestação religiosas.
Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2013/01/evangelizadores-querem-tomar-lugar-dos-pajes-diz-antropologo.html#ixzz2I9ShtKn6

Anúncios