Tags

, , , ,

 Dia de Yemanjá

Em razão da Lei Municipal de nº 13.914/2010, que instituiu o dia 21 de janeiro como Dia Municipal de Combate à Intolerância Religiosa, a Secretária Municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social (SMCAIS), por meio da Coordenadoria Especial de Promoção a Igualdade Racial (Cepir), irá reabrir às 9h da próxima segunda-feira, dia 21, no Centro Campineiro de Memória Afro-brasileira, a exposição “Religiões Brasileiras de Matriz Africanas e suas Simbologias: Umbanda e Candomblé – Parte I”.

Segundo o coordenador da Cepir, Benedito José Paulino, o combate à discriminação se inicia com conhecimento, e por isso a reabertura da exposição. “O intuito é educativo, com um contexto histórico, contado desde o século XVI até o final do XIX. A mostra apresenta o navio negreiro, o trabalho escravo, trazendo esses homens e mulheres de diversas nações e grupos étnicos distintos. A cultura própria, as visões cosmológicas e religiosas também variadas e, então, a umbanda, o candomblé, os orixás e suas formas de cultos com o intuito das oferendas e o desenvolver dessas religiões em Campinas.” diz o coordenador.

A mostra fica aberta ao público em geral até o dia 31 de janeiro, das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira, no Palácio da Mogiana, com entrada pela Avenida Campos Sales, nº 427.

Informativos S.O.S Discriminação

A Cepir é responsável pelas articulações e fiscalizações das políticas públicas voltadas à população negra de Campinas. A Coordenadoria apresenta algumas dicas com informações de como agir em caso de discriminação pela religião ou ausência dela. Embora, em alguns casos, seja difícil manter a calma e de imediato pensar no que deverá fazer para efetivar seu direito, o cidadão que sentir discriminado deverá:

– Anotar nome, endereço, telefone, do ofensor e das pessoas que presenciaram o ocorrido e também, detalhes do local onde aconteceu a discriminação.

– Dependendo da forma da discriminação deve-se ainda guardar documentos como nota fiscal, anúncio, propaganda, fotos, reportagens, que podem ajudar na hora de denunciar.

– Com as informações e eventuais documentos, deve-se ir à Delegacia de Polícia mais próxima do local onde ocorreu o fato ou de sua residência, para pedir que se faça um boletim de ocorrência (BO). Antes de sair da Delegacia, não esqueça de pedir uma cópia do BO.

Após, é necessário procurar o S.O.S Discriminação pelo telefone 0800-771-7769, onde será feito trabalho jurídico em parceria com a Defensoria Publica.O S.O.S Discriminação localiza-se na Avenida Campos Sales, nº 427, dentro da Cepir.

Fonte: Gislaine Antonio – Assessora Técnica
CEPIR – Coordenadoria Especial de
Promoção da Igualdade Racial –
Coordenação – Benedito José Paulino
(019) 3232 0058