Tags

, , ,

Movimento Negro na Seppir

Movimento Negro na Cepir Foto: Gislaine Antonio

Na noite do dia 24/01/2013 se reuniu na Cepir Campinas as lideranças dos Movimentos Negros e Afro Religiosos para debater o documento em que a PM deliberou a seus comandatos que abortassem Negros e Pardos e deste encontro saiu uma carta que deverá ser entregue ao Comando da Polícia Militar, a secretaria de cidadania, ao Prefeito Jonas Donizete e ao governo do Estado, pedindo a exoneração do Capitão e uma conscientização da PM em formas de GT e treinamento profissional.

Ficaram como sugestões na reunião para que sejam efetivas manifestações públicas no bairro Taquaral, no Debbie e na Camara dos vereadores.

Eu que além de blogueiro do movimento de combate ao racismo e a intolerância fiz parte das decisões e como assessor do Vereador Pedro Tourinho (PT), oferecemos o apoio do mandato nesta importante questão social.

Ficou feliz em sentir que a população negra irá lutar por seus direitos e pelas presenças de companheiros do PT, ligados ao movimento e a juventude.

Hoje dia 25/01/2013 está marcada a segunda reunião que definirá os detalhes desse processo, e a quem possa interessar será realizada no Sindicato dos Metalúrgicos as 19:00 e será aberto a todos que tem a consciência que no Brasil multirracial não deporá existir pensamento racista e nem uma repressão étnica.

 

Por: Oluandeji

 

Campinas 24 de Janeiro de 2013

 

As Entidades abaixo relacionadas veem a publico externar sua indignação frente à Ordem de

Serviço de nº 8 BPI – 822/20/12 do Comandante da 2ª Cia PM aos CGP II – Equipe “Todos”, datado.

De 21 de dezembro de 2012, conforme matéria veiculada no Jornal Correio Popular, de 24 de.

Janeiro de 2013 pagina A9, (doc. cópia anexo), vem mui repudiar a atitude racista e

preconceituosa presentes no documento em referência.

Campinas é uma cidade lider de uma região Metropolitana, de expressiva população “negra e

parda”, as entidades do movimento negro representadas neste documento, classificam a atitude

do comandante uma agressão inconcebível e inaceitável, perante a sociedade como um todo.

Assim, entendemos que:

 

1. Fica evidenciado no texto o racismo e o preconceito explícitos aos indivíduos de cor parda e

negra , tanto a pé como de carro, incluindo, o fato de que mais de três pessoas serem objeto de

abordagem policial;

 

2. O responsável pela assinatura do documento referenciado, é o Capitão PM – Ubiratan de

Carvalho Goes Beneducci, Comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar, ou seja, responde

hierarquicamente seus atos administrativos a instâncias superiores.

 

3. Isto posto, solicitamos em caráter de urgência providências imediatas ao Ministério Público.

Estadual, Secretaria de Segurança Pública, Secretaria da Justiça de Cidadania, Justiça Militar e a.

Ouvidoria Publica do Estado de São Paulo.

Entidades que assinam:

Conselho de Desenvolvimento e Participação da Comunidade Negra de Campinas;

Blog: Religiões Afro-brasileiras e Políticas;

Instituto Luiz Gama São Paulo;

GT – Institucional do Comitê contra o Genocídio da Juventude Negra e Periférica de São Paulo;

Grupo Identidade;

Secretaria Estadual do Combate ao Racismo – PT;

Frente Pró Cotas Unicamp;

Coletivo de Combate ao Racismo – CUT;

Sinergia – CUT;

Coordenadoria do APNs Mucambo Campinas;

Pastoral Afro;

Programa de Integração Cultural Afro-brasileira Unicamp;

Liga Humanitária de Assistência Afro-brasileira;

OAB/ Campinas – Comissão de Negro e Assuntos Anti discriminatório;

Cepppir Jundiaí;

Movimento Negro Unificado;

Rede Nacional de Negras e Negros LGBT;

Afromix;

Uninegro;

Anistia Internacional;

Comitê da Marcha Zumbi;

Ile Axé Obá Adakedajo Omi Alado;

Centro Cultural Omi Alado;

Anúncios