Tags

skinheads

Os três presos respondem por racismo e formação de quadrilha. Eles estão no Ceresp São Cristóvão e Antônio Donato Baudson Perett, 25, apanhou de outros detentos

Os três presos Antônio Donato Baudson Perett, 25, Marcus Vinícius Garcia Cunha, 26, e João Matheus Vetter de Moura, 20, suspeitos de racismo e formação de quadrilha negaram as acusações nesta terça-feira. Os skinheads disseram que têm liberdade de expressão, mas admitiram que fazem parte do movimento nacionalista. Eles foram presos no domingo, sendo que Antônio Donato foi detido em Americana (SP) e os outros dois em Belo Horizonte. Os três foram apresentados pela Polícia Civil neste terça-feira. 

A investigação contra Antônio Donato e os outro envolvidos começou depois da foto polêmica postada no Facebook em que o skinhead enforcava um morador de rua. Antônio Donato disse hoje que a foto foi uma brincadeira, mas a delegada responsável pelo inquérito, Paloma Boson, mostrou outras imagens capturadas na rede social dos três presos em que há dizeres racistas e homofóbicos. Por quanto, os jovens vão responder por racismo e formação de quadrilha, crimes apontados pelo inquérito da Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos (DEICC).

Segundo a delegada, já outros 10 boletins de ocorrência que comprovam a participação dos três em agressões na capital, mas cada delegacia da área onde ocorreram os crimes deverá desenvolver uma investigação. De acordo com Boson, há um quarto envolvido sendo investigado pelos mesmos crimes. Na segunda-feira, foi feito rastreamento na casa dele, com mandado de busca e apreensão, mas a prisão desse suspeito ainda não foi determinada pela Justiça. 

Com Marcus Vinícius a polícia apreendeu roupas camufladas do Exército, uma biografia de Adolf Hitler, duas facas e um soco inglês. O acusado disse que o uniforme é uma lembrança dos tempos em que serviu o Exército. 

Antônio Donato e Marcus Vinícius estão presos preventivamente e João Matheus está apenas com prisão temporária decretada, que pode ser revogada em cinco dias. A delegada agora segue nas investigações e tem mais sete dias para concluir o inquérito e repassar ao Ministério Público.

Soco na prisão 

Os três skinheads estão presos no Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) São Cristóvão e um deles já se envolveu em confusão na cadeia. Agentes penitenciários mudaram Antônio Donato de cela porque, ontem, perceberam um clima ruim com os outros presos – pessoas de grupos contrários aos skinheads. Ele foi colocado em outra cela porque apanhou de outros detentos ao fazer provocações defendendo sua ideologia nacionalista. 

Antônio Donato apareceu com um curativo no rosto na apresentação à imprensa nesta terça-feira. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o preso levou um soco, foi socorrido e passou pelo exame de corpo de delito. A direção da unidade prisional instaurou um Procedimento Interno de Investigação para apurar as responsabilidades pelo ocorrido.

 Fonte: http://www.geledes.org.br/racismo-preconceito/racismo-no-brasil/18158-skinheads-negam-crimes-e-assumem-ligacao-com-movimento-nacionalista

Anúncios