Tags

,

Ricardo ganha direito de usar título do candomblé no nome

Por , 27/01/2012 10:03

Táta Ricardo é líder do terreiro Lemba, na estrada da Cascalheira, em Camaçari

João Leite

O líder espiritual do terreiro Lemba, em Camaçari, Ricardo Tavares, ganhou o direito na Justiça de incorporar o ‘Táta’ ao seu nome de batismo. Táta é uma palavra de origem Bantu (Kibundo) e quer dizer pai, líder masculino, homem que lidera, além de ser a abreviatura de Tata Kwa Nkisse, cargo religioso que ocupa.

A ação de Retificação de Registro Público, impetrada no ano passado, foi reconhecida pelo juiz César Augusto Borges de Andrade, do Fórum de Camaçari. Esse é o 1º pedido de incorporação de título do candomblé ao nome reconhecido na Bahia, e o 2º no país. Táta Ricardo, como  é conhecido, agora entra com pedido de alteração de seus documentos de identidade, que passam a constar Táta Ricardo Pereira Tavares.

Iniciado aos sete anos no Terreiro Inbanzangolá (Salvador), pela Mamêto de Nkisse Apolônia Gomes, Táta é reconhecido como um dos mais importantes pais de santo do país. Pertencente a nação Angola cultura Banto, Táta tem forte atuação no trabalho de preservação das nossas raízes africanas  e na luta contra a intolerância religiosa.

Bacharel em Teologia, Tata Ricardo também é mestre em História da Cultura da África. Graças a sua atuação, Camaçari foi o 1º município da Bahia a instalar uma escola pública numa área  de terreiro de candomblé. A Escola Municipal Zumbi dos Palmares, instalada ao lado do terreiro, na estrada da Cascalheira, atende cerca de 100 alunos da educação infantil até a 1ª série do ensino fundamental.