Tags

, , , ,

JOSÉ BENISTE.Eu tenho a honra de publicar essa matéria que vem positivar ações de bom convício e entendimento que as nações de Candomblé precisam estar unidas, conversando e se articulando de forma plena e principalmente política e no entendimento que precisamos nos organizar e ocupar espaços legítimos para que possamos lutar de igual para igual a toda forma de exclusão, racismo e preconceito, aos participantes deste encontro meus respeitos e que continuem em ações positivas como esta.

Por: Oluandeji

SAJEMI, PAI BIRA, PROF JOSÉ BENISTE, MÃE LEILA DE LOGUN.Sábado dia 28/09, aconteceu o 1º Encontro Fraterno entre Kambondo(s), Huntós e Alabês no Rio de Janeiro, onde foi contada uma grande parte da história da implantação do candomblé neste estado. Foi um encontro aberto a todos, e foi um sucesso.

Estiveram presentes grandes personalidades do candomblé como: Pai Bira de Xangô, Prof. José Benistes, Doté Dica, Ofareré do Axé Oxumarê, Mãe Leila de Logun, Mam’etu Nedenje, Tata Sajemi, Tata Luazemi, Tata Kaiasimbe, e tantos outros que balizaram o evento.

Tivemos como palestrantes as seguintes pessoas:

Tata Muiji do Bate Folha do RJ.

Tata Kamusendê do Inzo Nsa Sra. da Glória de Belo Horizonte,

Tata Walter Nkosi, do Tumba Junsara,

Ogãn Wilson do Axé Ilha Amarela,

Ogãn Mário Jorge do Axé Zé do Vapor.

Abajigan Jaçanã do Seja Hundê,

Doté Dica do Modubí,

Babalorixá Fábio do Efan,

Mogbá João Ahundeji do Opô Afonjá, que palestrou sobre Egun e sobre à Casa Branca.

Pai Bira de Xango do Opo Afonjá,

Professor José Benistes do Opô Afonjá.

MOGBA JÃO, OGAN WILSON, EUANDILU, KAMUSENDÊ, JAÇANÃ.Deste encontro, nasceu a Associação de Kambondo(s), Huntós e Alabês da Região Sudeste, que tem como diretores as seguintes pessoas. Representando São Paulo temos Mogbá Ahundejy, representando Belo Horizonte Tata Kamusendê, pelo Rio de Janeiro temos três representantes, pelo Jeji Abajigan Jaçanã, pelo Ketu Ogãn Wilson e pelo Angola Tata Euandilu.

Temos que nos conscientizar, que só juntos temos força para lutarmos contra a intolerância e a mídia evangélica que nos massacra todo dia.

Nzambi Beká Muvó (Deus traga felicidades)

Tata Euandilu.